As minhas lágrimas regam os sentimentos mais puros e verdadeiros e me fazem renascer a cada nova estação. (Mônica Caetano Gonçalves Maio/2011)
Registro na Biblioteca Nacional nº: 570.118

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Barquinho de papel


O céu parecia querer desabar...
Chuva a cântaros, canta,
Apressa a pressa dos rios,
Escorre a esperança
Do morro pobre...
Chove a lágrima da criança,
Lamento triste e sofrido
Na enxurrada que leva
Tudo que tinha
Num barquinho de papel...

* Imagem: Aquarela de Paco Ponce

15/11/2011

3 comentários:

  1. BELO,quantas vezes nos sentimos embarcardos nesse barquinho de papel, mesmo sem vontade propria... somos levados por ele?

    ResponderExcluir
  2. A inspiração é um olhar, um sentir e um estar no unviverso do que é ser humano!

    ResponderExcluir